Posts

Showing posts from December, 2012

diálogos sobre poetas e poéticas, curso-oficina

Image
Curso de verão na Palavraria
Ampliando o repertório: diálogos sobre poetas e poéticas

Duração de 04 encontros-aulas: dois encontros por semana, nos dias 21/22 e 28/29 de janeiro de 2013. Custo R$ 200,00 à vista ou R$ 250,00 em 2X (dois cheques de R$ 125,00).

Horário: das 19h às 21h

Um diálogo dinâmico sobre alguns poetas fundamentais da tradição poética brasileira, seja em termos de modernismo, seja em termos de contemporaneidade. Através da apresentação e análise de obras chaves de determinados poetas, os participantes do curso se familiarizarão com as questões essenciais da função poética da linguagem e desse modo ampliarão sua capacidade de leitura e criação de poemas.



Cada encontro será dedicado a um poeta, na seguinte ordem: Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto, Décio Pignatari. Esses autores serão confrontados com um panorama seletivo-crítico de autores contemporâneos



Em paralelo os participantes exercitarão a escritura de poemas que serão comentados e…

um ensaio a 4 mãos com cândido rolim

Image
trabalho do artista Jorge dos Anjos, MG
PRIMÓRDIOS DO NOVO                                                                       Cândido Rolim  e Ronald Augusto(*)
                        Se o enredo não vale por si só, nada como pisar nos calos de questões já superadas.  De tempos em tempos, ocorre a um crítico ou artista reclamar aos brados um gênio, uma épica, uma raridade. À primeira vista, mais um paisano enfadado com a mesmice. De outra parte, embora pareça difícil não julgar ociosa a questão em si, e sem pretensão de construir justificativa válida, abordaremos, sim, o assunto, e, quem sabe, com equivalente enfado estetizante.                         Julgar que tudo já foi dito ou feito não é achar que a realidade se deixa esgotar por meia dúzia de sofismas ou uma única sorte?  Para muitos soa razoável a pretensão de somente realizar algo sob o argumento de que ninguém jamais o fez. É possível um texto original? Não raro, a absoluta novidade se apresenta aos nossos olhos como ileg…