Posts

Showing posts from October, 2008

éblis de um ponto de vista nordestino

"Éblis mostra a cara. Por enquanto e até agora, cinco volumes publicados, tom de diversidade de lugares e de dicções variadas também. De Ronaldo Machado, ´Solecidades´ (2007), uma curiosa recuperação da dimensão metafórica da poesia, recurso que caiu em desuso na produção recente, mas que aqui aparece revigorado, convertido numa metáfora urbana e amarga. Ronald Augusto em ´No assoalho duro´ (2007), como é bem sugestivo do título, passeia por um verso provocativo, atiçando a própria linguagem, quase auto-ironia, propõe um nocaute nas aparências, na arrogância solene do mundo das letras, fazendo uso das próprias armadilhas deste. Depois, Paulo de Toledo, que é de Santos (SP), editor, poeta e seus ´51 Medicamentos´ (2007), espécies de anti-haikais, poética quase rabisco por onde transita um mendigo incômodo e provocador, inquilino anônimo do que se diz: cidade. Em 2008, a editora publicou o recente ´Passeios na floresta´, de Ademir Demarchi, que é paranaense, de escrita ágil, irônic…

nepotismo!

Image
Amaralina Dinka, minha filha caçula de 11 anos, escreveu seu primeiro poema e me pediu para publicá-lo aqui no blog. Ela quer receber críticas e comentários.

A MOCINHA FELIZ

Eu acordei bem sapeca
Parecendo uma peteca
Fui direto pra cozinha
Tomar meu café na caneca

Na escola eu aprendi
A multiplicar
No recreio fui brincar

Cheguei em casa
Subi a escada
Escorreguei,
Caí no chão
Mas não chorei

Na hora de jantar
Tomei meu chá

Na minha janela
Vi uma mulher tagarela.

alexandre animador de circo

Image
PALAVRARIA – LIVRARIA-CAFÉCONVIDA PARAMAFUÁ DE MALUNGO:

Bate-papo entre Ronald Augusto e Alexandre Brito 16 de outubro de 2008, quinta-feira, das 19h às 21h Na Palavraria – Livraria-Café


Alexandre Brito é poeta, músico, letrista, editor e produtor cultural. Nascido em Porto Alegre, começa sua trajetória como poeta nos anos 80, em Belo Horizonte. No ano de 1986 publica Visagens pela Editora Arte Pau Brasil. Em São Paulo participa ativamente da “Edições Nômades”, editora que publicava poemas em vários suportes (livro, poster, cartão, postal, camiseta) usando a técnica da gravura serigráfica. Com os poetas Paco Cac e Samaral (Rio de Janeiro), publica uma série de Jornais poéticos 1990, 1991, 1992. Idealizou e coordenou como editor a Coleção de poesia Petit-Poa (em sua primeira fase; formato das caixinhas) para a Coordenação do Livro e Literatura da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre, quando foi publicado “Zeros”. Também produziu eventos como o 2° Poetar (1991/SMC-POA) e a 1ª S…