poema + ogumletras


Começa um assunto e não o encerra

sopa de misso fumegante
logo não vejo refletidas
no divino caldo as árvores
do quintal da antiga vizinha

comi pão preto por mim feito
e não aquele que comentam
uns ter o diabo em pessoa
amassado para o menu
dos reis que não pagam a conta

e o trovador que trove a dona
que o pariu malgrado o baú
aberto como se trombeta
ao longe ao perto cortesão

Comments

Cândido said…
Ogum de insidiosa seta. arrebites de estrada, suas espadas de flandre. o signo-machado, a tez de ácido negror.
Valeu, Ronald!

Popular Posts