poema do meu livro Vá de Valha (1992)



o nosso conceito de dante o nosso conceito de dante
o nosso conceito de dante
o nos

as interpretações de um livro infinito como a
commedia
as interpretações

so
conceito de dante
o nosso conceito de dante o nosso conceito de dante

o sósia o poeta sentimentalmente
não condena nem absolve
sol
cadena

monarchia ouro prata povos vergonha

sócio emprestado mascarado grafado
bebendo num scorvo escuro ou
o travo branco da luz que avança estilhaços

através do esgalho da
onça pintada selva

ou
a torpeza das linguagens
linguagens toupeiras que
premiam e castigam

tu m’hai di servo tratto a libertate
meu espírito espreita minha mão preta
avencas inguaiás possessão

Comments

anjobaldio said…
Muito legal seu blog. Grande abraço.
Nelson Magalhães Filho said…
Caro Ronald, obrigado por visitar meu blog. Estarei sempre por aqui. Grande abraço.

Popular Posts